Uberlândia intensifica ações de imunização contra febre amarela após morte de macaco com a doença

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

A Prefeitura de Uberlândia informou durante entrevista coletiva para imprensa, nesta terça-feira (30), que um macaco foi diagnosticado com febre amarela. O animal foi encontrado em novembro de 2017 no Bairro Lídice e passou por exames que confirmaram a doença. Ações de imunização serão intensificadas na cidade.

De acordo com o boletim epidemiológico divulgado também nesta terça (30) pela Secretaria de Estado de Saúde (SES-MG), as cidades do Triângulo Mineiro não têm registro de caso de morte de humano por febre amarela nos útimos meses. Durante a coletiva, a Prefeitura de Uberlândia informou que 90% do público-alvo foram imunizados e ainda restam cerca de 70 mil pessoas para tomar a vacina.

––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE –––

Como medida preventiva, serão intensificadas ações de imunização. De acordo com a coordenadora do Programa de Imunização, Cláubia Oliveira, elas acontecem em locais com grande fluxo de pessoas com o intuito de facilitar o acesso à vacina.

“A febre amarela é uma enfermidade grave e a única forma de prevenir é se imunizando. Por isso, intensificamos nossas atividades, em busca daquelas pessoas que ainda não foram vacinadas. Facilitamos o acesso de todos, inclusive de quem trabalha e ainda não teve condição de ir às unidades. Temos a meta preconizada que é de 95%, mas claro que estamos buscando superar isso”, explicou.

  • Vacinação em terminal de ônibus e parque

De 5 a 9 de fevereiro, das 7h às 9h e das 16h às 20h, equipes da Secretaria de Saúde estarão no Terminal Central para imunizar a população contra a doença . As ações também serão realizadas no Parque do Sabiá, das 16h às 20h diariamente. Podem se vacinar pessoas acima de 9 meses que ainda não receberam dose da febre amarela.

  • Palestras e imunização in loco

A Prefeitura vai oferecer ações de imunização em empresas e presídios e palestras nas unidades de saúde, em eventos e outras iniciativas de prevenção e combate. “Os interessados podem ligar no setor de Imunização e solicitar a visita por meio de agendamento”, disse Cláubia.

  • Zona rural

Será realizada uma varredura, de fazenda em fazenda, a partir do dia 17 de fevereiro. “Como no ano passado, voltaremos novamente nas comunidades rurais para certificar que todos estão imunizados. Só que para alcançar um maior número de pessoas, em especial o trabalhador do campo, realizaremos essa atividade ampliada”, contou a coordenadora.

  • Trabalho do Centro de Controle de Zoonoses

Como a febre amarela urbana é transmitida pelo Aedes aegypti, os profissionais do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) também participam do trabalho de eliminação no mosquito. Por isso, as equipes do CCZ intensificaram as ações, inclusive nos fins de semana.

Minas Gerais já tem 81 casos confirmados de febre amarela desde dezembro de 2017. Deste total, 77 são homens e quatro mulheres. De acordo com boletim da SES-MG, 36 pessoas morreram em decorrência da doença e 66% das mortes foram registradas na Região Metropolitana de Belo Horizonte.

Entenda como ocorre a infecção e quais são os sintomas da febre amarela (Foto: Alexandre Mauro/Editoria de Arte G1)Entenda como ocorre a infecção e quais são os sintomas da febre amarela (Foto: Alexandre Mauro/Editoria de Arte G1)

Entenda como ocorre a infecção e quais são os sintomas da febre amarela (Foto: Alexandre Mauro/Editoria de Arte G1)