Populares tentam linchar suspeita de retirar bebê da barriga de mulher em João Pinheiro

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Populares tentaram linchar na tarde desta terça-feira (16/10), a principal suspeita do sumiço da jovem Mara Cristina, que estava grávida de 8 meses e desapareceu no início da tarde de segunda-feira (15/10). O fato foi registrado próximo à caixa d’água da Copasa, no bairro Itaipu, as margens da BR-040, em João Pinheiro, no Noroeste do Estado de Minas Gerais.

De acordo com informações, agentes da Polícia Civil levaram a suspeita Angelina de 40 anos, até o referido local apontado por ela como último lugar que manteve contato com Mara. Ao avistarem os agentes e a suspeita, diversas pessoas revoltadas com o caso resolveram tentar fazer justiça com as próprias mãos, e passaram a agredir fisicamente Angelina.

–––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––

A suspeita chegou a cair ao solo, e o linchamento só não foi consumado graças à intervenção dos policiais civis, que conseguiram preservar a integridade da possível suspeita. Sendo a mesma retirada do local. O caso segue sendo investigado pela Polícia Civil de João Pinheiro, que tenta fazer com que a vítima confesse o local onde o bebê teria sido retirado da barriga da vítima.

ENTENDA O CASO:

Uma mulher de 22 anos que estava grávida de 8 meses está desaparecida desde as 13h00 desta segunda-feira (15/10), o caso intriga a Polícia Militar, já que uma mulher que era conhecida da jovem, compareceu ao Hospital Municipal de João Pinheiro, com o bebê enrolado em um pano e com um ferimento na cabeça dizendo que era a mãe do recém-nascido.

O médico que atendeu a mulher, disse que queria examinar o recém-nascido, o que foi negado pela mulher de nome Angelina. O médico verificou que a mulher não apresentava evidências de gravidez e de ter ganhado a criança horas antes. A Polícia Militar foi acionada para tentar elucidar o caso que até agora é um misterioso.

Familiares da jovem desaparecida e identificada como sendo Mara Cristina, 22 anos, estiveram no hospital e, questionaram Angelina sobre o paradeiro de Mara. Segundo informações, Mara Cristina estava morando com Angelina a aproximadamente uma semana. Mas a mulher não soube informar o paradeiro de Mara. 

Questionada pela Polícia Militar, a mulher relatou que a jovem Mara estava em uma residência no Bairro Itaipu. Uma guarnição da polícia e familiares da Mara estiveram na referida residência, mas a jovem não foi localizada.

Angelina ressaltou ainda que teve a ajuda de uma outra pessoa para realizar o parto da criança, porém não deu maiores detalhes. Angelina possui passagens policiais por roubo. A Polícia segue em rastreamento para tentar localizar a jovem Mara.

Devido a complicações respiratórias e nascer prematuro, o recém-nascido foi transferido para o Hospital São Lucas, em Patos de Minas, onde permanece internado.

Fonte: Patos 1