Operação da PC encontra 1147 casos de carteirinhas falsas e prende cinco em Patos de Minas

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

A Polícia Civil de Minas Gerais deflagrou, em Patos de Minas, a maior Operação registrada na região de combate a falsificação de documentos. O foco principal foi a adulteração de carteiras de estudantes. Mais de 1140 casos de falsificação foram identificados e o número pode ser muito maior. Foram apreendidos carteiras em branco e materiais para adulteração. Cinco pessoas foram presas. Os policiais destacaram que este é mais um caso de corrupção que prejudica a população brasileira.

De acordo com o Delegado Regional Luís Mauro Sampaio, foram cumpridos, inicialmente, 3 mandados de busca e apreensão, após representação embasada em levantamentos realizados por Investigadores de Polícia. Durante a Operação denominada Terceiro Grau, 5 pessoas foram levadas para a Delegacia de Polícia, sendo apreendidos diversos materiais de contrafação.

–––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––

Nesta primeira fase, foram contabilizados pelos policiais 1147 casos de adulteração de carteiras de estudantes, sendo apreendidos, ainda, duas impressoras e um computador utilizados para a prática do crime. Outras 754 carteiras em branco, que seriam utilizadas para novas falsificações, também foram recolhidas.

O Chefe do Posto Integrado de Perícias de Patos de Minas, Reginaldo Cadete, informou que o número pode ser maior, já que, em análise preliminar, foram constatados os nomes de 24.336 supostos alunos, espalhados por todo o Brasil.

O Delegado Regional, Luiz Mauro, ressaltou o empenho da equipe de Policiais Civis, informando que investigações como esta serão constantes, já que fomentam toda espécie de crimes. “O número surpreende. Mais ainda, o que assusta é o risco que essas próprias pessoas correm ao fornecer seus dados para estelionatários e falsificadores”, ressaltou.

O Chefe do Departamento, Felipe Colombari, informou que as pessoas que utilizam indevidamente dos documentos falsos estão sujeitos a prisão em flagrante delito, sem direito a fiança, e que a relação de fraudadores será encaminhada para a Chefia do Executivo Municipal e para as Universidades/Faculdades e Sindicato de Produtores Rurais de Patos de Minas, como forma de auxiliarem na fiscalização.

O delegado destacou que esta é mais uma forma de corrupção que causa prejuízos a toda a sociedade. “São atitudes como essa que encarecem ingressos de eventos para o lazer e passagens de transporte público. Há sempre alguém que paga a conta e não pode ser a população de bem, que age dentro da legalidade. Esse é mais um mecanismo, que leva a corrupção generalizada e não pode ser tolerado. É importante que tenham a consciência disso: a corrupção aparenta estar generalizada, mas começa em pequenos atos, como o de falsificar uma carteira de estudante”, concluiu.

Fonte: Patos Hoje

As buscas que marcaram 2018

No final de 2018, o Google anunciou os resultados das buscas do ano, oferecendo uma perspectiva das tendências e destaques do ano baseado nas pesquisas feitas