Nota oficial sobre o uso da Ivermectina contra a Covid-19.

Empresa acredita que por ser um medicamento de baixo impacto em termos de efeitos colaterais, grande parte da comunidade médica aderiu aos protocolos de tratamento da Covid-19 baseados em Ivermectina, Azitromicina, complexos vitamínicos e corticoides

A Vitamedic Indústria Farmacêutica, empresa que no Brasil produz a Ivermectina, esclarece:

––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE –––

1º – Desde a eclosão da pandemia da COVID-19, em março de 2020 no Brasil, a
Ivermectina passou a ser uma das alternativas para tratamento precoce da doença,
especialmente quando estudos clínicos in vitro realizados pela University Monash, de
Melbourne, Austrália, apontaram a ação antiviral do medicamento.

2º – Por ser um medicamento de largo uso pela população para tratamento de
pediculose, verminose e filariose, e de baixo impacto em termos de efeitos colaterais,
grande parte da comunidade médica aderiu aos protocolos de tratamento baseados
em Ivermectina, Azitromicina, além de complexos vitamínicos, corticoides etc.

3º – A comprovada segurança oferecida ao uso da IVERMECTINA e mais dezenas
de outros estudos desenvolvidos ao redor do mundo, especialmente nos Estados
Unidos, Inglaterra, Egito, Argentina, Eslováquia, Peru, México, entre outros, deram
ainda mais segurança e argumentos à comunidade médica, instituições de saúde
pública e privada para incluir a IVERMECTINA nos protocolos de combate à doença.

4º – O crescimento do mercado da IVERMECTINA, um produto de baixo custo e
terapeuticamente de baixo risco, naturalmente, incomoda e pode ser o motivador de
campanhas contra na mídia, especialmente provocadas por empresas que têm interesse em lançar produtos patenteados de alto custo para a mesma doença.

Confira a nota oficial da MSD sobre o uso da ivermectina para a Covid-19 

Gabriel Amorim
Farmacêutico

Fonte: Vitamedic

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp