Mandados de busca e apreensão são cumpridos em Uberlândia durante Operação ‘Stellio’

A ação investiga uma organização criminosa especializada em estelionatos. Operação foi desencadeada após a prisão de jovem em um flat de luxo em Uberlândia em junho deste ano.

A Polícia Civil cumpriu, na manhã desta terça-feira (14), mandados de prisão e de busca e apreensão nas cidades de Uberlândia, Belo Horizonte, Vespasiano, Ibirité e Ribeirão das Neves, durante a segunda fase da Operação “Stellio”. A ação investiga uma organização criminosa especializada em estelionatos.

––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE –––

De acordo com a polícia, as investigações foram iniciadas no final de junho, a partir da prisão em flagrante de um jovem, de 27 anos, em um flat de luxo, no Centro de Uberlândia. Na ocasião, também foram apreendidos materiais utilizados para falsificação de documentos, um carro de luxo e diversos bens de alto valor. Entenda abaixo a primeira etapa da Operação “Stellio”.

Nesta terça-feira, quatro suspeitos foram presos na região metropolitana de Belo Horizonte. Além disso, um mandado de prisão preventiva foi expedido contra o suposto líder do grupo, que já estava no sistema prisional. O G1 entrou em contato com a assessoria de imprensa da Polícia Civil para saber se esse suposto líder da quadrilha seria o jovem preso em Uberlândia há duas semanas, mas não obteve retorno até a última atualização desta matéria.

Foram cumpridos, ainda, oito mandados de busca e apreensão, e de bloqueio de contas bancárias e de bens de valor. A Polícia Civil não informou em quais cidades foram cumpridos esses mandados e bloqueios, nem o que foi apreendido em cada município e nem valores bloqueados nesta etapa. O G1 questionou essas informações à assessoria de imprensa, mas não obteve respostas até a última atualização desta reportagem.

Primeira fase

De acordo com a Polícia Civil, as investigações foram iniciadas no dia 26 de junho, a partir da prisão em flagrante de um jovem, de 27 anos, em um flat de luxo, no Centro de Uberlândia. Na ocasião, também foram apreendidos materiais utilizados para falsificação de documentos, um carro de luxo e diversos bens de alto valor.

Durante a investigação, novos elementos surgiram e identificaram o funcionamento da organização. Isso levou a Polícia Civil a deflagrar da primeira fase da Operação “Stellio” no dia 30 de junho, quando dois suspeitos, que não tiveram as idades informadas, foram presos e também foram realizadas apreensões de bens, além do cumprimento de mandados de busca e apreensão.

Os dois detidos na primeira etapa confessaram os crimes e indicaram outros integrantes do grupo, alvos da segunda etapa da Operação realizada nesta terça-feira.

Resultado parcial da Operação “Stellio”

Ainda conforme a Polícia Civil, durante as duas fases da Operação “Stellio” foram cumpridos dois mandados de prisão temporária, além dos quatro de prisão cumpridos nesta terça. Um mandado de prisão preventiva foi expedido contra o suposto chefe do grupo, mas ele já estava no sistema prisional.

Outros onze suspeitos de integrarem a organização criminosa foram identificados e indiciados.

Cerca de R$ 500 mil que estavam em contas bancárias dos autores foram bloqueados pela Justiça durante as duas etapas da ação. Carros de luxo, computadores, celulares, videogames e bens de valor também foram apreendidos.

G1

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

Romeu Zema anuncia escala de pagamento

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, anunciou, nesta quarta-feira (28/10), a escala de pagamento dos servidores do Estado em novembro. A primeira parcela, com