E-mail: [email protected] - WhasApp: (34) 9 9810-5536

‘Lista de postos com gasolina’ no WhatsApp é golpe e link já foi acessado 65 mil vezes, alerta empresa

fabricante de antivírus Kaspersky Lab divulgou um alerta nesta segunda-feira (28) sobre um golpe no WhatsApp que está se aproveitando da greve dos caminhoneiros e do desabastecimento nos postos de gasolina no país. A mensagem chega com um link prometendo uma lista de postos que receberão gasolina, mas, como outras fraudes no WhatsApp, só será possível ver a suposta “lista” — que não existe — após encaminhar a mensagem para amigos.

O link é de um endereço do Bit.ly, um serviço encurtador de links que informa estatísticas sobre acessos. Segundo o site, o link já foi acessado 65 mil vezes. O golpe começou a circular neste domingo (27).

Para dar um ar de legitimidade ao golpe, o site falso adota a imagem da Petrobras e pede que a vítima informe a cidade em que reside. Na tela seguinte, o site diz que 17 postos da cidade receberão gasolina, mas as informações sobre o estabelecimento só serão liberadas após compartilhar a mensagem com amigos.

Mesmo que a vítima siga todos os passos, porém, nada será informado sobre postos de gasolina. Segundo a Kaspersky Lab, a vítima é redirecionada para páginas que divulgam serviços Premium (serviços de SMS que são cobrados na fatura de telefone ou descontados dos créditos). Também é possível que seja recebida alguma oferta para a instalação de aplicativos ou uma página cheia de propaganda.

Os criminosos podem faturar com essas propagandas e recomendações de aplicativos. Caso a vítima assine algum serviço de SMS disseminado pelo golpe, o consumidor será lesado pela cobrança do serviço indesejado, que terá de ser cancelado junto à operadora.

“O criminoso ganha de muitas formas: pelos milhares de page-views no site cheio de propaganda, pela instalação dos aplicativos sugeridos pela página, num esquema de pay-per-install, ou até mesmo com a oferta de instalação de apps maliciosos, como já vimos anteriormente”, explica Fabio Assolini, analista sênior de segurança da Kaspersky Lab.

Fonte: G1

Fechar