Lagamar, Presidente Olegário e mais 15 municípios recebem recursos para combate ao Covid-19

Lagamar, Presidente Olegário e outros 14 municípios do Alto
Paranaíba vão receber R$ 157 mil em recursos para produzir máscaras de diversos
tipos, álcool gel e testes laboratoriais para o combate à Covid-19. A
informação foi divulgada pelo Ministério Público Federal (MPF) na segunda-feira
(04).

De acordo com informações, a quantia foi liberada depois que o
próprio MPF fechou uma parceria com a Universidade Federal de Viçosa (UFV), que
tem campus em Rio Paranaíba, e com a Fundação Arthur Bernardes, que envolve a
produção de insumos para diagnóstico, prevenção e tratamento de pacientes
infectados pelo novo coronavírus.

––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE –––

Segundo a publicação, a parceria consiste no repasse pelo MPF à
UFV do recurso, oriundo de Acordos de Não Persecução, Termos de Ajustamento de
Conduta e Acordos Judiciais firmados pelo órgão em Patos de Minas.

Os valores se encontravam depositados em conta administrada pelo Conselho de Segurança Pública da cidade patense.

Cidades beneficiadas

Conforme o MPF, serão contemplados os municípios Arapuá, Carmo
do Paranaíba, Coromandel, Guimarânia, Lagamar, Lagoa Formosa, Matutina, Patos
de Minas, Patrocínio, Presidente Olegário, Rio Paranaíba, São Gonçalo do
Abaeté, São Gotardo, Serra do Salitre, Tiros e Varjão de Minas.

Uso

Com os recursos, a UFV, por meio do campus Rio Paranaíba, irá produzir máscaras de diversos tipos, álcool gel e testes laboratoriais realizados pelo método RT-PCR, que serão distribuídos às respectivas secretarias de saúde.

Produção

Segundo o MPF, a previsão é que, semanalmente, sejam produzidos mil litros de álcool gel ou álcool 70% glicerinado, 1.500 protetores faciais do tipo face Shields, 800 máscaras caseiras de algodão ou de TNT para agentes de saúde e 150 testes para detecção do coronavírus pelo método RT-PCR.

O órgão reforçou, ainda, que os produtos, à exceção dos testes,
que dependem de lógica própria inerente a cada realidade municipal, deverão ser
distribuídos equitativa e proporcionalmente às populações de cada localidade.

No caso de destinação a município diverso, o MPF deverá ser
previamente consultado para verificar a pertinência e necessidade da doação.

Nossa expectativa é de que, assim, possamos ajudar as secretarias municipais em suas ações de enfrentamento à pandemia, pois, em consulta a todos os municípios da nossa circunscrição, as informações fornecidas ao MPF apontam que, embora tais EPIs e materiais sejam essenciais no combate ao coronavírus, os municípios ainda não contam com quantitativos suficientes deles”, explicou a procuradora da República Polyana de Paiva Jeha.

A prestação de contas da utilização dos recursos deverá ser
encaminhada ao MPF em até 180 dias contados da data de recebimento dos valores.

Fonte:
G1

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp