Apesar de já estar jogando e goleando com a camisa do Paris Saint-Germain, Neymar ainda não terminou de ir embora do Barcelona, nem de se separar do tridente que formou no Camp Nou com Messi e Luis Suárez. Melancólico no gramado, o argentino apareceu sorridente ao lado do brasileiro e do uruguaio em uma foto que o próprio Messi publicou no Instagram, às 19.09 horas, depois que o clube azul-grená anunciou que processaria Neymar. Na sequência da foto de Messi, apareceu uma série de imagens, divulgadas por Neymar e diferentes jogadores dos catalães, da visita do brasileiro e de Daniel Alves a Barcelona, que também reproduziam o famoso tuíte de Piqué com a frase “fica”, em referência ao ex-atacante do clube espanhol.

A série fotográfica provou múltiplas interpretações e, de propósito ou não, evidenciou o distanciamento entre o elenco e a diretoria, no dia em que a entidade havia expressado sua contrariedade com a saída de Neymar.

Na primeira hora da tarde, o Barcelona anunciava por meio de um comunicado que enviou à Federação Espanhola de futebol a ação que impetrou no último dia 11 de agosto contra o jogador no Tribunal Social de Barcelona. O Barça quer que o brasileiro lhe devolva o pagamento correspondente ao seu bônus de renovação, por descumprimento de contrato. A avaliação do Barcelona é de que, com a rescisão unilateral de Neymar, o clube fica isento do pagamento do total do bônus, que inclui a parte liquidada e um segundo pagamento de cerca de 26 milhões de euros (96 milhões de reais).

Danos e prejuízos

Além disso, o Barcelona cobra de Neymar uma indenização de 8,5 milhões de euros por perdas e danos, mais 10% do total como juros de mora. No mesmo comunicado, no qual pede que a Federação espanhola transmita a demanda para a Federação Francesa de Futebol e a FIFA, o Barcelona exige que o PSG assuma esses custos caso Neymar não possa assumi-los.

A incerteza que rodeou a equipe sobre o futuro do jogador animou o Barcelona a reconsiderar suas obrigações contratuais com Neymar, concordadas na sua última renovação, no último mês de outubro. Entre elas, estava o pagamento de 26 milhões de euros ao brasileiro em 31 de julho, como segunda parte de seu bônus milionário. Mas o clube depositou tal quantidade em juízo diante das poucas garantias de continuidade que o jogador oferecia. O objetivo era não perder também esses 26 milhões de euros, além do jogador. A rescisão de contrato, de cinco anos de duração, justifica a atual ação judicial, segundo o clube.

O relacionamento entre a diretoria do clube e Neymar parece ter-se rompido com a mesma facilidade com que se rompeu o vínculo contratual entre as duas partes. Depois do jogo contra o Toulouse, o brasileiro afirmou: “Eles [a diretoria] não deviam estar lá. O Barcelona merece muito mais, e todo mundo sabe disso”.

O clube justifica a sua decisão alegando a ruptura brusca por parte do jogador poucos meses depois de ter assinado a renovação de contrato. “O Barcelona entrou com essas medidas em defesa de seus interesses, depois de uma rescisão unilateral de contrato efetuada por Neymar Jr. poucos meses depois da assinatura de sua renovação até o ano de 2021. Essa defesa será exercida sempre de acordo com os procedimentos estabelecidos pelos organismos competentes”.

Os advogados de Neymar responderam, em um comunicado, que apresentarão a sua defesa contra a ação azul-grená e lembraram que lutarão nos tribunais pela primeira parte da renovação de 2016, que não foi paga.

Fonte; ESPN