Minas Gerais foi o responsável pelo total de exportações brasileiras de lentes intraoculares e medicamentos contendo insulina e por 97,9% das válvulas cardíacas, entre os meses de janeiro e agosto de 2017. Os dados são da análise do comércio externo de Produtos Intensivos em Informação e Conhecimento (PII&C) do estado, divulgados na plataforma FJP Dados da Fundação João Pinheiro (FJP).

No período analisado, a participação mineira nas exportações dos três segmentos remeteram ao estado US$ 81,4 milhões. No total da modalidade Produtos Biotecnológicos Voltados para Saúde Humana e Animal-Fármacos-Químicos do país, que também agrega Cavalos e Bovinos Reprodutores Raça Pura; Sêmen e Embriões de Animais; Próteses Arteriais-Mamárias-Subst. Membros; Soro Antiofídico-Outros Soros; Fármacos; e Produtos Químicos, o estado arrecadou US$ 561 milhões, o equivalente a 8,3% da pauta brasileira.

De acordo com a pesquisadora da FJP, Maria Aparecida Sales, os resultados permitem avaliar, sob uma perspectiva estratégica, o dinamismo, complexidade e competitividade da economia. “Minas Gerais é tradicionalmente conhecido como exportador de commodities e dados como esses nos mostram o potencial do estado na produção de produtos com maior especialização tecnológica”, explica.

Os dados apontam também que, entre os meses de janeiro e agosto de 2017, as exportações de PII&C de Minas Gerais tiveram um aumento de 12,1%, em comparação com o ano anterior, passando de US$ 1,6 bilhão para US$ 1,8 bilhão. Já em relação ao total exportado pelo estado, a participação destes produtos diminuiu de 11,4% para 10,5%.

Na mesma base comparativa, as vendas externas brasileiras de PII&C passaram de US$ 29,1 bilhões para US$ 32,2 bilhões, um crescimento de 10,5%, mas também reduziram sua representação na pauta nacional total de exportações, de 23,6% para 22,1%.

No período, a participação mineira no valor de PII&C exportados pelo Brasil teve leve aumento de 5,4% para 5,5% em relação a 2016.

Outras modalidades

Entre janeiro e agosto de 2017, a modalidade Produtos da Indústria Automotiva, Aeroespacial, Ferroviária e Naval representou 41,3% na composição da pauta mineira de PII&C, com destaque para o grupo Veículos, Tratores e Ciclos, cujo valor exportado cresceu 20,4% em relação ao mesmo período de 2016.

As vendas externas na modalidade Produtos da Indústria Mecânica-Elétrica-Instrumentos de Precisão, por sua vez, equivaleram a 26,1% da pauta dos Produtos Tecnologicamente Sofisticados de Minas Gerais, com realce para o segmento Máquinas e Equipamentos Mecânicos, que apresentou acréscimo de 33,7% no período analisado.

PII&C

A tipologia Produtos Intensivos em Informação e Conhecimento é baseada na classificação de produtos desenvolvida pela Fundação João Pinheiro com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (Fapemig).

Fonte: Agência Minas