O policiamento ostensivo da Polícia Militar (PM) dentro dos campi da Universidade Federal de Uberlândia (UFU) já resultou em mais de 300 registros de ocorrência desde que o convênio foi firmado.

A maioria está relacionada aos crimes de furto, roubo, infrações de trânsito e tráfico de drogas. Os números são referentes ao campus Santa Mônica, cuja área é de responsabilidade da 170ª Companhia de Polícia Militar. Os dados do campus Umuarama não foram enviados à reportagem.

A atuação dos militares dentro da instituição foi determinada pela Justiça Federal em setembro de 2016 depois de uma ação civil pública movida pela Procuradoria da República em Uberlândia, no ano anterior, quando ocorreu uma tentativa de estupro no campus Santa Mônica.

Segundo os dados divulgados pela corporação, foram 141 ocorrências em 2016 e 159 boletins registrados no ano seguinte. De janeiro deste ano até nesta última terça-feira (13), os policiais compareceram em 16 ocorrências no interior e nas imediações do campus Santa Mônica.

Os crimes de furto lideram as estatísticas com 126 casos registrados na instituição nos últimos dois anos. Em seguida, os acidentes de trânsito sem vítima (73) e roubo (19).

“A Polícia Militar já fazia o policiamento na região e sempre que solicitada pela instituição. Depois que os trabalhos ficaram mais efetivos, passamos a realizar o patrulhamento rotineiramente e fazer reuniões constantes para alinhar as ações de segurança no campus”, disse o comandante da 170ª Cia, tenente Gabriel Bernardes.

Tráfico de drogas

Um dos principais objetivos do acordo é coibir o tráfico de drogas no interior do campus, especialmente na área conhecida como “Jambolão”. Segundo a PM, as denúncias de tráfico diminuíram drasticamente desde que os militares passaram a patrulhar a área com maior frequência.

Desde que a parceria passou a vigorar, a polícia registrou 11 casos de tráfico. O mais recente ocorreu na tarde da última terça-feira (13), quando um estudante foi flagrado com 10 buchas de maconha, uma porção de cocaína, cogumelos e LSD. A droga foi apreendida e o suspeito conduzido à Delegacia de Polícia Civil.

Uma denúncia anônima possibilitou a identificação do estudante.

“Observamos que ainda há certa resistência em fazer a denúncia. Mas é muito importante que a comunidade acadêmica nos ajude no combate ao crime denunciando seja pelo 190 ou pelo Disque Denúncia 181, sem se identificar”, comentou o policial.

Mais segurança

O G1 solicitou entrevista com a coordenação de Segurança da UFU para falar sobre as ações que vêm sendo adotadas para combater a criminalidade nos campi. No entanto, a assessoria de comunicação respondeu apenas em nota e informou que em breve será convocada uma coletiva de imprensa para tratar do assunto.

A UFU disse que, além do policiamento nos campi Santa Mônica e Umuarama, conforme a sentença assinada pelo juiz federal Lincoln Rodrigues de Faria em 22 de setembro de 2016, outras medidas de segurança adotadas pela universidade envolvem a implantação de sistema de vigilância, aplicativo móvel de segurança, campanhas educativas e o aumento do efetivo da equipe de vigilância interna.

O sistema de videomonitoramento está em fase final de instalação e já opera em caráter experimental.

Fonte: G1