Um empresário de Uberaba é procurado nesta terça-feira (20) pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco) de Uberlândia por ser suspeito de participar de crimes que são investigados na Operação “Fênix”.

Segundo promotor, Daniel Marota, responsável pelo Gaeco de Uberlândia, o empresário foi procurado na casa de parentes e um imóvel na manhã desta terça-feira (19), mas não foi encontrado. Portanto, agora ele é considerado um foragido da Justiça.

Advogados presos

Nesta segunda-feira (19), dois advogados de Uberlândia, José Carlos de Oliveira Campos e Sérgio Martins Parreira Junior, foram presos preventivamente durante os desdobramentos da segunda fase da Operação “Fênix”. De acordo com o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), eles são suspeitos de crime de corrupção.

O advogado de defesa de Junior, Alexandre Oliveira Dias, esclareceu em nota que a operação é baseada unicamente em delação premiada e que, até esta terça, não teve acesso aos atos para tomar ciência da denúncia criminal e das imputações que são feitas ao cliente. “Esperamos que o mais breve possível a situação seja esclarecida, com a comprovação de inocência do advogado e sua soltura”, informou.

Já a defesa de José Carlos não foi encontrada para comentar o assunto.

Operação Fênix

A operação foi deflagrada pelo Ministério Público, por meio do Gaeco de Uberlândia e culminou no cumprimento de mandados contra corrupção, associação criminosa, roubos, falsidade ideológica e outros crimes em Minas Gerais, Mato Grosso e Paraná.

Durante a primeira fase foram cumpridos mais de 200 mandados contra policiais civis, incluindo investigadores, escrivães e delegados, além de advogados.

Fonte: G1