Ela tinha acabado de sair da infância quando conheceu as drogas pela primeira vez. Leila Apolinário da Silva, 30 anos é dependente química desde os 13 anos de idade. Presa na manhã desta terça-feira (01) por furtar um telefone celular, a mulher se emocionou ao fazer um desabafo e um apelo para conseguir um tratamento e se livrar das drogas.

Leila confessou o furto do telefone celular na casa do vizinho, um homem de 64 anos que diz ajuda-la constantemente oferecendo comida e apoio. Ela dá outra versão e diz que pegou o telefone por impulso, nesse que seria o primeiro furto cometido na vida. Embora seja dependente de crack há tantos anos, Leila não tem passagens por furto.

Presa em casa na rua Guajajaras  – Bairro Caramuru – Leila foi levada para a delegacia e no meio da confissão do furto, decidiu desabafar. Já são 17 anos de convivência com o crack e outras drogas e muito sofrimento. Ao falar da perda dos filhos, ela não conseguiu segurar as lágrimas. As duas crianças foram retiradas da mãe e levadas para um abrigo.

Leila sente que chegou ao fundo do poço e pede ajuda para recomeçar. Ela fez um apelo para conseguir voltar para uma clínica de recuperação. A mulher confessa que já esteve internada uma vez, mas que a dependência foi mais forte. Hoje, Leila diz que se sente mais preparada para enfrentar o vício.

As pessoas que puderem colaborar com o tratamento da Leila podem encontra-la na rua Guajajaras, 565 – bairro Caramuru.

Abaixo, neste vídeo, Leila pede ajuda para largar o vício, e conseguir um tratamento: