Com mais de 20 milhões de pessoas trabalhando como escravos modernos, uma desenvolvedora de tecnologia espera que a inteligência artificial ajude a limpar as cadeias de abastecimento do mundo e a erradicar o abuso de trabalhadores.

Padmini Ranganathan disse que dos celulares, das notícias e das câmeras de vigilância podem ser extraídos dados em tempo real, alimentados por máquinas para criar uma inteligência artificial que ajude as empresas a enxergarem o que está acontecendo em suas cadeias produtivas.

A escravidão moderna passou por uma crescente análise no ano passado, colocando pressão regulatória e do consumidor sobre as empresas para garantir que suas cadeias de fornecimento estejam livres de trabalho forçado, trabalhadores infantis e outras formas de escravidão.

Quase 21 milhões de pessoas são vítimas de trabalho forçado, de acordo com a Organização Internacional do Trabalho (OIT), com trabalhadores migrantes e povos indígenas particularmente vulneráveis. Essa mão-de-obra na economia privada gera 150 bilhões de dólares em lucro ilegal por ano, segundo a OIT.

Mas Padmini Ranganathan disse que existem novas… para continuar lendo, clique aqui.