Huawei confirma qual será primeiro dispositivo com novo sistema operacional

Desde que o governo dos Estados Unidos ampliou a pressão para cima da Huawei, a fabricante chinesa vem buscando alternativas para não depender tanto de parceiros norte-americanos em seus produtos. E uma das ações que vêm sendo tomadas pela empresa é a criação de um novo sistema operacional para seus dispositivos, com o objetivo de deixar o Android, do Google, de lado.Agora o CEO da divisão de produtos para consumidores da Huawei, Yu Chengdong, confirmou que um dos próximos lançamentos da empresa já rodará o novo sistema. Trata-se do relógio inteligente Huawei Smart Watch, que será equipado com o sistema operacional chamado HarmonyOS.Apesar de não ter dados detalhes de como funcionará a plataforma, a Huawei confirmou que planeja implementá-la também em computadores, celulares, tablets e dispositivos da Internet das Coisas. A ideia, segundo Chengdong, é transformar o HarmonyOS em um “sistema operacional mundial” no futuro. Ou seja, ele não será restrito a lançamentos chineses.ReproduçãoHarmonyOS, o novo sistema da Huawei. DivulgaçãoA Huawei confirmou o desenvolvimento do HarmonyOS em 2019, e, na época, disse que o sistema operacional teria código-fonte aberto, além de ser adaptável para diversos tipos de dispositivos diferentes.Maior fabricante de celulares do mundoA Huawei recentemente superou a Samsung e se tornou a maior vendedora de celulares no planeta. No segundo trimestre de 2020, a chinesa deixou a rival coreana para trás, com 55 milhões de smartphones vendidos no período, ante 53,7 milhões da Samsung.A liderança, porém, pode não durar muito tempo. A diferença na venda de celulares está concentrada principalmente na China, que já em plena recuperação pós-pandemia da Covid-19.A China representa 70% das vendas da Huawei. A Samsung, por outro lado, tem participação modesta no país asiático, sendo mais forte em outras partes do mundo que ainda sofrem as consequências da pandemia. A tendência, portanto, é que a Samsung se recupere nos próximos meses, e volte a superar a Huawei.Via: GizmoChina
Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp