Governo de Minas Gerais, confirma 61 mortes por febre amarela

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp

O governo de Minas Gerais informou, nesta terça-feira (6), que o número de mortes por febre amarela chega a 61 no estado. Em relação ao último informe epidemiológico, divulgado no dia 30 de janeiro, foram 25 novos óbitos.

Ao todo, o estado tem registro de 164 casos confirmados de febre amarela. Deste total, 151 são de pacientes do sexo masculino, e 13 do sexo feminino.

––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE –––

Até o momento, não há relato de vacinação contra febre amarela entre os casos confirmados. A média de idade dos pacientes é de 47 anos. O mais novo tem 3 anos, e o mais velho, 88. A letalidade da doença é de aproximadamente 37,2%

No estado, outros 301 casos continuam em investigação e casos suspeitos foram descartados, conforme o último boletim epidemiológico.

As mortes confirmadas se referem a pacientes das seguintes cidades:

  • seis em Nova Lima, na Região Metropolitana;
  • seis em Mariana, na Região Central;
  • três em Belo Horizonte;
  • três em Barão de Cocais, na Região Central;
  • três em Brumadinho, na Região Metropolitana;
  • três em Juiz de Fora, na Zona da Mata;
  • duas em Barra Longa, na Zona da Mata;
  • duas em Caeté, na Região Metropolitana;
  • duas em Conceição dos Ouros, Sul de Minas;
  • duas em Ponte Nova, na Zona da Mata;
  • duas em Porto Firme; na Zona da Mata;
  • duas em Rio Acima, na Região Metropolitana;
  • duas em Rio Preto, na Zona da Mata;
  • uma em Aguanil, Centro-Oeste de Minas;
  • uma em Alvinópolis, na Região Central;
  • uma em Belo Vale, Região Central;
  • uma em Carmo da Mata, no Centro-Oeste;
  • uma em Ervália, na Zona da Mata;
  • uma em Goianá, na Zona da Mata;
  • uma em Itavera, na Região Central;
  • uma em Mar de Espanha, na Zona da Mata;
  • uma em Maripá de Minas, na Zona da Mata;
  • uma em Mateus Leme, na Região Metropolitana;
  • uma em Ouro Branco; na Região Central;
  • uma em Passa Tempo, no Centro-Oeste;
  • uma em Piranga, na Zona da Mata;
  • uma em Poço Fundo; no Sul de Minas;
  • uma em Presidente Bernardes, na Zona da Mata;
  • uma em Raposos, na Região Metropolitana;
  • uma em Rio Manso, na Região Central;
  • uma em Rio Novo, na Zona da Mata;
  • uma em Santa Bárbara, na Região Central;
  • uma em Santos Dumont, na Zona da Mata;
  • uma em São Tomé das Lestras, na Região Sul;
  • uma em Senhora de Oliveira, na Zona da Mata;
  • uma em Viçosa, na Zona da Mata.

A febre amarela é uma doença infecciosa febril aguda, causada por um vírus transmitido por mosquitos infectados. Em área rural ou de floresta, os macacos são os principais hospedeiros e a transmissão ocorre pela picada dos mosquitos transmissores infectados Haemagogus e Sabethes. Nas cidades, a doença pode ser transmitida principalmente por mosquitos da espécie Aedes aegypti. Não há transmissão direta de pessoa a pessoa.

Os sintomas iniciais da febre amarela incluem o início súbito de febre, calafrios, dor de cabeça intensa, dores nas costas, dores no corpo em geral, náuseas e vômitos, fadiga e fraqueza.

Fonte: G1