É #FAKE que Comissão de Direitos Humanos pediu prisão de homem que reagiu e agrediu assaltante

Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp

Circula pelas redes sociais uma mensagem que diz que a Comissão de Direitos Humanos mandou prender o jovem que agrediu um assaltante em Minas Gerais e que ele foi preso a pedido do Ministério Público. A afirmação é #FAKE.

Fake — Foto: G1 Fake — Foto: G1

Fake — Foto: G1

–––––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE ––––––

O Ministério Público de Minas Gerais diz não ter atuado no caso do estudante e afirma que a informação da prisão do estudante a pedido da Promotoria é falsa.

MPMG

@MPMG_Oficial

O #MPMG informa que não atuou no caso do estudante que, na última quinta-feira, 22, reagiu a uma tentativa de assalto no Bairro Camargos, região Noroeste de Belo Horizonte. A informação da suposta prisão do estudante a pedido do MPMG, portanto, #ÉFAKE

A Polícia Civil de Minas Gerais reafirma que o jovem que foi vítima da tentativa de roubo não foi preso nem teve a prisão pedida.

A polícia esclarece que ainda irá apurar se houve excesso da vítima quanto à defesa.

Foi feito um pedido de prisão em flagrante do assaltante por roubo tentado.

O texto que circula nas redes sociais fala em Comissão de Direitos Humanos de Minas Gerais.

As comissões consultadas pelo Fato ou Fake rejeitam a possibilidade de pedir a prisão da vítima, até porque não têm esse poder.

Também consultada, a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados declara que desconhece o caso e que, mesmo que tivesse recebido uma denúncia de violação de direitos humanos a respeito do fato, não tem prerrogativa para “mandar prender”, atribuição exclusiva do Judiciário.

A foto usada na ilustração da mensagem sobre o pedido de prisão da vítima foi copiada de uma reportagem que trata de outro assunto, publicada em 2017.

FONTE: G1

Vaga de Emprego para Vazante – ArcelorMittal

Técnico Operacional / Planejador de Manutenção Requisitos Mínimos:– Conhecimento avançado das ferramentas do Office;– Conhecimento do módulo PM do SAP;– Habilitação categoria B. –––––– CONTINUA