Doria assina acordo com farmacêutica chinesa para vacina contra coronavírus

João Doria anunciou nesta quinta-feira (11) uma parceria entre o Instituto Butantan e a empresa farmacêutica chinesa Sinovac para produção e teste de 9.000 voluntários brasileiros de uma possível vacina contra o vírus chinês.

“É um dia histórico para São Paulo, Brasil e a ciência mundial. O Instituto Butantan fez um acordo de tecnologia com a gigante farmacêutica chinesa Sinovac Biotech para a produção da vacina do coronavírus”, declarou o governador de São Paulo, João Doria, em entrevista à imprensa no Palácio Bandeirantes.

––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE –––

São Paulo investirá 85 milhões de reais (US$ 17 milhões) através do Instituto Butantan para que China, que provocou a pandemia de coronavírus em todo o mundo, desenvolva a terceira e última fase da vacina em território brasileiro, com transferência de tecnologia, segundo informação oficial.

“O acordo prevê a participação de São Paulo na realização de testes clínicos dessa vacina, com o acompanhamento de 9 mil voluntários brasileiros a partir do próximo mês de julho. Dentro, portanto, de 3 semanas, 9 mil voluntários já estarão sendo testados aqui no Brasil”, afirmou o governador.

Doria acrescentou que a vacina poderá estar disponível no primeiro semestre de 2021, caso se revele efetiva contra o vírus.

Se a vacina for eficaz, a Sinovac e o Instituto Butantan firmarão mais um acordo de transferência de tecnologia para a produção em escala industrial tanto na China como no Brasil para fornecê-la ao Sistema Único de Saúde (SUS).

Bruna de Pierri/TL

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp