Covid-19: Brasil passa dos 108 mil casos; mortes chegam a 7.390

[Atualização] As secretarias estaduais de Saúde atualizaram, na manhã desta terça-feira (5), os dados sobre a pandemia do novo coronavírus no país. Até o momento, são 7.390 óbitos registrados e 108.932 casos confirmados. A taxa de letalidade da doença é de 6,9%.

––– CONTINUA DEPOIS DA PUBLICIDADE –––

As fatalidades estão concentradas nos estados de São Paulo (2.654), Rio de Janeiro (1.065) e Pernambuco (691).

Com os dados atuais, o Brasil registra mais mortes que a China, que possui oficialmente 4.643 óbitos em decorrência da Covid-19

Quarentena estendida

A fim de conter o avanço da doença, o governo de São Paulo ampliou a quarentena no estado após o dia 10 de maio. Contudo, na contramão do município, o executivo deve flexibilizar, a partir do dia 11 de maio, o funcionamento do comércio nas regiões em que há poucos casos da Covid-19.

Situação no mundo

O novo coronavírus já infectou mais de 3,6 milhões de pessoas em todo o mundo, um marco alcançado apenas cinco meses depois de ter surgido na cidade chinesa de Wuhan. O número de mortos pela Covid-19 superou a marca de 251 mil mundialmente. Mais de 1,1 milhão de pessoas se recuperaram da doença.

Neste momento, os Estados Unidos, o novo epicentro da doença, já supera a marca de 1,1 milhão de casos confirmados e 68 mil mortes. Nova York é a cidade com mais óbitos: 24.999 mortes até então.

Impacto regulatório

A InteliGov, startup de monitoramento parlamentar, criou um site com monitoramento automático e parametrizado do Diário Oficial da União e do Legislativo (federal, estadual e municipal) em tempos de crise. Nele, é possível ver todas as menções à Covid-19 no Diário Oficial da União (DOU).

Pioneira na automação do monitoramento de informações governamentais, a InteliGov usa sua tecnologia para atualizar automaticamente as informações a cada hora, no caso do DOU, e diariamente, quanto às iniciativas do Legislativo.

Todo material disponível é gratuito, e dividido em duas categorias: ‘publicações na imprensa oficial’ e ‘proposições legislativas’.

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp