E-mail: [email protected] - WhasApp: (34) 9 9810-5536

Acusada de atrair vítima para ser assassinada é condenada a 3 anos e meio em Tribunal de Júri

Foi levada a julgamento nessa segunda-feira (02) no Fórum de Patos de Minas Carla de Fátima Ferreira, a mulher acusada de atrair a vítima para o local onde seria assassinada. O crime aconteceu no dia 17 de agosto de 2010. Os dois homens que teriam executado o assassinato ainda serão levados a julgamento.

No dia do crime, Carla convidou Washington Marques Magalhães, na época com 21 anos, para fazer um programa em uma caixa d’água abandonada nos fundos do bairro Santa Luzia. Minutos depois, ela saiu do local dizendo que iria comprar bebida e preservativos. Nesse instante, dois homens apareceram e um deles deferiu um tiro no olho e outro na perna da vítima e o segundo deu uma facada no jovem.

Mesmo ferido, Washington conseguiu pedir socorro. Ele foi levado para o Hospital Regional e só morreu 20 dias depois. Antes ele prestou depoimento e contou o que havia acontecido. Carla foi denunciada pelo Ministério Público como coautora de homicídio duplamente qualificado. Na época, Carla era dependente de drogas e foi presa em flagrante.

No julgamento, ela negou qualquer envolvimento no crime. O advogado de defesa, Cássio Araújo, lembrou que o depoimento da vítima não confirma a participação de Carla. A ré afirmou que não sabia da existência de um plano para tirar a vida de Washington. Entretanto, o Ministério Púbico apresentou um vídeo gravado pela sobrinha de Carla, onde a ré confessa a participação no homicídio.

No momento da gravação, Carla parecia estar sob efeito de álcool e drogas. A defesa desclassificou o vídeo. No julgamento, os jurados desclassificaram o homicídio para lesão corporal grave, condenando Carla a uma pena de três anos e seis meses em regime semiaberto. Os dois homens que teriam executado o crime, identificados como Dudu e Carlinho Capeta, vão sentar no banco dos réus ainda este ano, no segundo semestre.

Fonte: Patos hoje

Fechar